:: Evitar mordeduras ::

Conselhos às Crianças
- Não se aproximem de animais que não conheçam.
- Não incomodem o vosso cão ou gato enquanto ele estiver a comer, dormir ou se começar a lutar com outro animal.
- Se tiverem uma cadela ou gata qua acabou de ter filhos, não tentem tirar as filhotes à mãe. Peçam a um adulto que vos ajude.
- Não olhem FIXAMENTE um cão ou gato nos olhos. Este gesto pode ser interpretado como uma ameaça séria e o animal pode então morder.
- Se um cão vos perseguir quando andam de bicicleta, não tentem acelerar. Desçam da bicicleta a ponham-na entre vós a o cão. Esperem que o cão pare também.
- Se um animal vos atacar, gritem por socorro e façam tudo para evitar a mordedura (subam a uma árvore p.ex.) se puderem deem uma peça da vossa roupa (camisola por exemplo) ao animal pare que ele a morda. Se a mordedura não puder ser evitada, enrolem-se "em bola", as mãos e os punhos a proteger as orelhas e esperem sem se mexerem.

Conselhos aos Adultos
- Assegure-se que o cão vive em condições óptimas de conforto (espaço, humidade, etc.).
- Não confie a responsabilidade do animal familiar à criança antes que esta atinja a maturidade suficiente para o conseguir. Esta maturidade está estimada em cerca de 10 anos de idade. 0 animal familiar deve estar SEMPRE sob a inteira responsabilidade do adulto. A sua entrada na família, mesmo que motivada por um desejo forte da criança, não deve constituir uma sobrecarga de responsabilidade antes dos 10 anos.
- NUNCA deixe sozinhos, num local de espaço exíguo (carro,pequenos quartos), uma criança e o animal da casa. lsto á submeter a criança a um risco inútil. Uma mãe nunca deixa o seu filho só junto a um ferro de engomar ligado ou de um forno eléctrico aceso. 0 animal, por muito familiar e dócil que seja, deve ser considerado na mesma perspectiva.
- Nunca deixe a seu animal andar solto na rua. Tenha-o sempre à trela durante o passeio de modo a que possa ter sobre ele um perfeito controlo.
- Em caso de mordedura conduza a vítima a um hospital. Efectue sempre as visitas regulamentares, junto do médico veterinário, com o animal agressor.
- NUNCA confie a tarefa de alimentar um cão a uma criança demasiado jovem ou inexperiente.
- Encoraje os contactos positivos da criança com os cães da vizinhança sob o controlo atento dos pais.

Autor
: Mário Santos, MV - Hospital Veterinário do Porto in Arca de Noé